segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A prefeita

-----Aquela era uma linda manhã e Luíza acordou ao raiar do sol, com excelente humor e muita energia. Sentou-se à mesa da cozinha e comeu. Queria chegar cedo ao clube para ajudar nos preparativos da festa. Estava super ansiosa e realmente cheia de pressa.
-----Era uma cidade de menos de cinqüenta mil habitantes e Luíza era filha do prefeito, muito amada pela população e super atuante, principalmente nos eventos sociais. A principal festa anual, o aniversário da cidade, era organizada por ela havia seis anos, quando a data estava no esquecimento.
-----Logo que saiu de casa, dirigindo o seu automóvel, pensou com carinho em seu namorado Lucas, com quem estivera na noite anterior até tarde. Chegou bem cedo ao clube e entrou no salão de festas; no canto, centenas de mesas e cadeiras estavam empilhadas e Luíza orientou o pessoal a espalhar tudo pelo salão, que já estava limpo desde a noite anterior.
Na cozinha do clube, várias das melhores cozinheiras da cidade seguiam as orientações de um importante culinarista que Luíza sempre contratava para a ocasião, vindo da capital só para isso.
-----– Bom dia, chef! – Luíza o cumprimentou animadamente, feliz por vê-lo ali tão cedo.
-----– Bom dia, flor do dia!
----- – Você chegou agora? A que horas saiu de casa?
----- – Claro que não! Da minha casa para esta cozinha, querida, são mais de três horas! Teria acordado antes das quatro para estar aqui agora, às sete! Não seria eu! – Sorriu abertamente. – Eu dormi aqui mesmo, na pousada daquela senhora simpática. Ela foi um doce comigo. Amei! – E acrescentou: – Nem acredito que estou aqui, trabalhando, às sete horas da manhã! Só faço isso porque te amo!
----- – É por isso que sou tua fã! – Beliscou um pouco de patê que estava em uma panela enorme. – E também por essa tua comida incrível. Que delícia! – Sorriu. – Se precisar de mim, pode mandar me chamar e eu virei voando. – Deu uma risada alegre, piscou e saiu da cozinha, deixando o amigo trabalhando ao som de uma música clássica, que ele considerava inspiradora e tranqüilizadora, ao mesmo tempo; ideal para a cozinha, que defendia como uma arte.
----- Continuando, Luíza foi até a piscina, que ficava por trás do salão de festas e era vista de lá, através de uma grande parede de vidro. Diversos jovens iriam chegar para encher balões e decorar a piscina e o salão. Luíza queria vê-los cedo, mas tinha consciência de que não deveria ficar ansiosa demais e contar com a sua chegada somente pelas nove horas. Entrou no salão com alegria, sempre elogiando e motivando o pessoal que fazia o serviço voluntário.
----- – Chegamos! – Luíza gostou demais de ouvir a voz dos dois principais músicos da cidade e ver que com eles, na porta de entrada do salão, estavam os sonoplastas.
----- – Que pontualidade! São exatamente oito horas! – eles foram ao palco e Luíza cumprimentou a cada um com um beijo no rosto. – Vocês são os melhores sonoplastas desta cidade!
-----– Ah sim, somos os únicos! – sorriram.
----- – Não é à toa. Mãos à obra e fiquem à vontade. Façam tudo como sabem fazer. Sabem que têm autonomia porque eu confio plenamente na competência de vocês. A cidade inteira está em polvorosa pela vinda de um artista renomado ao nosso município. Achei bom ele chegar de carro, sozinho, já tarde da noite de ontem. Assim ele pôde chegar em paz. Eu e o Lucas estávamos passando em frente da pousada quando o vimos chegar, guardar o carro na garagem e entrar conduzido pela dona Lourdes à “suíte presidencial” – imitou o jeito orgulhoso da dona da pousada referir-se ao seu melhor quarto. – Parece que estou vendo o quanto ela está correndo agora para agradá-lo e ele gostar da acolhida. Ela ficou toda feliz quando soube que o meu pai havia decidido não hospedar ninguém em casa, mas incentivar o turismo providenciando a hospedagem de todo o pessoal nas melhores pousadas.
----- – É uma honra para ela. E todos nós também nos orgulhamos da atitude do nosso prefeito. Você sabe que falo de coração, né?
----- – Mas é claro! Há quanto tempo somos amigos? Desde sempre.
----- – O que não é muito tempo, afinal – deram risada juntos.
Luíza deu-lhe um abraço, agradeceu e saiu, pegando o celular no bolso da calça jeans para falar com a coordenadora das recepcionistas do clube. Satisfeita com a conversa, foi à piscina, onde algumas pessoas já estavam chegando para preparar a decoração. Eles armavam uns suportes com arames e iam prendendo os balões, um a um. No salão, as mesas estavam todas distribuídas e quase todas as cadeiras estavam cobertas, faltando menos de uma dúzia. Luíza gostou muito da cena que via. Os homens que distribuíram as mesas e cadeiras perguntaram o que deviam fazer agora. Luíza os encarregou de algumas tarefas pequenas.
----- Enquanto isso, o pessoal dos balões chegava também ao salão, arrumando as armações de arame e prendendo tudo, deixando o ambiente um verdadeiro espetáculo à parte. O ambiente estava maravilhoso, a comida estava ficando saborosa, a música seria a melhor, os convidados mais importantes confirmaram a presença, era um dia perfeito.
----- – Que horas são, Toni? – perguntou ao seu amigo músico.
----- – Quase onze horas. Daqui a pouco começaremos o ensaio. Se for possível, dispensa o pessoal da arrumação?
----- – Já posso dispensar a maioria, sim. Mas só depois que o pessoal checar os banheiros e levar o papel higiênico e papel toalha para ficar tudo bem abastecido. E também vão colocar os garrafões de água mineral nos lugares estratégicos que eu marquei – voltou-se para o chefe do pessoal encarregado dessas tarefas. – Tudo certo para deixar tudo isso pronto, seu Jonas?
----- – Sim, senhora. O pessoal já foi orientado. Não vai demorar nada, nada.
-----O serviço foi feito como Luíza havia orientado, o salão estava pronto, eram onze e meia e todos os músicos e equipe de sonoplastia estavam no palco, prontos para ensaiar.
-----– O filho da dona Lourdes acabou de ligar, Luíza – disse Toni, animado. – Nosso artista está chegando.
----- – Excelente! Vou até a porta recebê-lo.
----- O cantor famoso que havia sido convidado para a festa era um homem de quarenta e três anos, bonito, perfumado, de cabelos lisos e levemente grisalhos, olhos claros e expressivos, voz suave e modos agradáveis. Embora seu estilo musical não fosse o preferido de Luíza, ela admirava a sua elegância e o considerava um homem sedutor. De fato, a maioria das mulheres pensava assim. Mesmo sendo muito apaixonada pelo seu namorado, ela não conseguiu evitar o que sentiu ao ver chegar aquele homem fascinante. Parecia que iria derreter quando o cumprimentou.
-----– É você a Primeira Filha?
----- – Pode me chamar de Luíza, por favor. É uma honra para a nossa cidade a sua presença aqui em uma data como a de hoje.
-----– Onde fica o palco? – perguntou.
----- – Vou levá-lo até lá.
----- Luíza andou até o palco como se estivesse flutuando. Toni nunca a tinha visto daquele jeito, tão encantada. Parecia que não era a mesma mulher firme e decidida que ele conhecia. Ele não conseguiu evitar o que sentiu por aquele homem arrogante. Parecia que iria fuzilá-lo quando o cumprimentou secamente.
----- – Qual o repertório que faremos?
----- – As músicas que irei cantar são algumas do novo CD e as mais conhecidas e pedidas. Algumas músicas eu sou obrigado a cantar. Você não imagina como é chato cantar tantas vezes a mesma música de sempre! Mas sou obrigado mesmo.
----- – Vamos começar – sugeriu Toni, de maneira objetiva, virando-se para os demais músicos, como se dissesse “que coisa horrível para se dizer!”.
----- Luíza ficou olhando a cena, sentada em uma cadeira, por uns quinze minutos, até perceber que alguém chegava. Olhou para trás, era o Lucas, seu namorado.
-----– Ai que bom! Você chegou agora?
----- – Cheguei há uns quinze minutos. Vi que o carro do nosso cantor famoso estava vindo para cá e fiquei curioso. Estava observando lá da porta.
----- – O ensaio começou, o Toni está cuidando de tudo.
----- – Ótimo! Você ainda tem muito que fazer aqui?
----- – Na verdade, não. Pelo menos não agora.
----- – Então vamos almoçar. Você deve estar com fome.
----- – Pensando bem, estou mesmo. Cheguei cedo hoje e não parei até agora. Estou ansiosa, pois esperamos por mais de mil pessoas para esta noite.
----- – A minha sogra já me disse que tem uma comidinha bem gostosa esperando por nós. Ela faz questão.
-----– Eu também faço questão, sendo assim – sorriu.
----- Luíza avisou a todos que iria sair e a que horas voltaria. Chegando em casa, sentou-se à mesa para almoçar e pegou o telefone. Falou outra vez com a equipe de recepção, combinou o horário para estarem no clube, disse que daria uma palavrinha com elas e ficou tudo marcado. Olhou para as unhas.
----- – Mãe, a senhora já fez as unhas?
----- – A Irene vai chegar daqui a meia hora e ela vai fazer as tuas primeiro. Depois as minhas e as de Laura em seguida.
-----– Vou telefonar para a Tânia vir cuidar do meu cabelo também. Quero estar linda! – Olhou para o namorado: – Depois de almoçarmos, você vai ter que ir, querido. Não vou poder te dar atenção. Ainda tenho tanta coisa a fazer!
-----– Sou desprezado, mesmo. É sempre assim – sorriu. – Tudo bem, minha linda. Você vai brilhar na festa hoje e vai me encantar, como sempre.
----- – Teu terno está pronto?
-----– Não se preocupe comigo, ficarei à tua altura, pode deixar.
-----Almoçaram, Lucas foi embora e a sala da casa do prefeito começou a se transformar em um salão de beleza. A mãe de Luíza, uma mulher de muita beleza e elegância, fazia questão de ver sua família brilhar em todas as ocasiões. Eles normalmente eram mencionados pelos colunistas sociais da capital como a família de prefeito mais bonita, a primeira-dama mais elegante, a que melhor sabia receber etc. Certa vez, uma revista de circulação nacional publicou uma matéria com fotografias de sua casa, indicando a primeira-dama como uma das mulheres mais bem vestidas do país.
-----A hora do show se aproximava. Luíza tinha que ir mais cedo ao salão para dar as últimas orientações. Telefonou para o namorado, ele estava pronto também.
-----– Vem me buscar aqui então, querido? Os outros irão mais tarde.
----- – Claro que vou. Espera, estou saindo agora mesmo. Você deve estar lindíssima.
----- Quando Lucas chegou, olhou Luíza de cima a baixo, como se estivesse vendo a coisa mais preciosa do mundo. Ela estava muito feliz, tudo estava perfeito. Aquele dia todo foi maravilhoso e nada poderia dar errado.
-----– Você também está lindo, meu querido! Sou uma sortuda mesmo, o meu namorado é o cara mais bonito da cidade – sorriu e ele a beijou carinhosamente.
----- Quando Luíza entrou no salão, ficou ainda mais encantada com o que viu. Sem sombra de dúvida, aquela era a mais bela edição da festa de aniversário da cidade que havia organizado. Ela seguiu até o palco, onde tudo estava pronto, passou para trás, onde ficavam os camarins. O cantor famoso estava descansando e já havia sido bem alimentado, informou a mulher que ficara para atendê-lo em tudo o que precisasse. No outro camarim estava Toni e sua equipe toda conversando.
-----– Como foi o ensaio?
-----– Foi bom. O cara é um metido, mas canta bem pra caramba. Que voz! Nós nos demos bem, na medida do possível. Ele parecia estar lidando com completos ignorantes, a princípio. Mas aos poucos fomos mostrando que podemos fazer bem o nosso trabalho. No final, ele disse que gostou.
----- – Vocês vão se arrumar aqui mesmo? Já comeram?
----- – Já sim. O chef fez questão de vir pessoalmente com a nossa comida deliciosa. Estamos numa reunião preparatória agora, depois tomaremos banho e “voilà”! – mostrou os ternos escuros pendurados no armário.
-----– Excelente! Sou fã de vocês, sabem disso?
-----– Claro! – Sorriu. – Você está linda demais, vou me apaixonar.
----- – A noite será especial, você não acha?
----- – Tenho certeza.
----- As recepcionistas todas chegaram praticamente juntas, todas muito bem arrumadas, com os vestidos iguais azuis, cabelos penteados, maquiadas, perfumadas, tudo como planejado. Luíza reuniu todas elas ao seu redor e as orientou a respeito dos convidados mais ilustres, mostrou suas fotos, indicando quem era quem, para que elas os chamassem pelo pronome de tratamento referente ao cargo exercido. Prefeitos, vereadores, deputados, desembargadores, militares de alta patente, jornalistas, empresários importantes e outros eram os convidados que iriam ocupar as elegantes cadeiras cobertas pelas mulheres que estiveram ali logo cedo.
-----Luíza lembrou-se de seu amigo chef, quase censurando a si mesma por não ter ido à cozinha até então.
-----– Meu chef preferido! Como estão as coisas por aqui?
-----– Está tudo pronto para ser servido, minha Primeira Filha preferida! – Olhou para o seu visual. – Você está deslumbrante!
-----– Ainda vou trocar o vestido. Esse é apenas para os momentos pré-abertura. Quando eu estiver pronta para subir ao palco, colocarei o vestido que trouxe de Paris em dezembro. Você tem que ver. Sua opinião é fundamental para mim.
-----– Com certeza! Vou tomar banho agora, na pousada. Colocarei a minha roupa de chef chique e ocuparei o “meu palco” – disse colocando a mão aberta no peito, sorrindo. Os garçons chegarão quando eu voltar da pousada. Não vou demorar.
----- – Ótimo. Falta apenas uma hora para começarmos. Fica à vontade. O importante hoje é brilhar.
----- – Isso será inevitável! – sorriu, piscou e saiu logo depois de dar algumas orientações às cozinheiras auxiliares, todas sorridentes.
----- – Que cheiro bom nesta cozinha, gente! – disse Luíza logo depois que o chef saiu.
----- – Coma alguma coisa, filha – sugeriu uma delas. – Você não vai ter tempo de comer com os outros. Aproveita agora, enquanto é tempo!
-----– Excelente idéia! E poderei dar uma de chique, não comendo nada na hora da festa – sorriu com elas.
----- Os convidados chegaram, lotaram o salão; a música da banda de Toni agradava e movimentava a todos. Nas mesas, comida de primeira e na pista, muita animação. Sendo a música do cantor famoso suave e romântica, Toni escolheu um repertório mais alegre e dançante para cantar com a sua equipe, antes da abertura. A fim de homenagear Luíza, cantou várias músicas que tinham as mulheres como tema, o que ela recebeu com muita alegria e sorrisos de gratidão ao amigo.
----- Quando o salão já estava realmente superlotado e todos os principais convidados de seu pai haviam chegado, Luíza decidiu iniciar a cerimônia. Foi a um dos camarins e trocou de roupa, colocando o vestido especial. Com um jogo de luzes e música de impacto, subiu ao palco sob aplausos dos convidados.
----- Com um discurso muito bem elaborado, sendo uma oradora excepcional, Luíza conduziu as pessoas ali presentes a sentir um súbito interesse pelo seu município e quase se apaixonar pelo mesmo. Com palavras muito bem articuladas e um tom de voz impressionante, chegou a arrancar lágrimas de muitas pessoas, até mesmo de alguns que ali estavam pela primeira vez na vida.
-----Logo depois do discurso, foi apresentado em vídeo de muita qualidade, um histórico da cidade, fundada havia menos de cinqüenta anos, com menos de dois minutos de duração, o qual encerrou com a rápida apresentação das fotos de todos os prefeitos, tendo os nomes dos mesmos e período dos seus mandatos na legenda. O pai de Luíza, é claro, foi a última cena do vídeo e ficou no ar por uns dez minutos, enquanto Toni e sua banda tocavam uma música forte e nostálgica, excelente para mexer com as emoções do público. Luíza levantou-se, foi ao microfone e apresentou:
-----– Com vocês, o nosso prefeito!
-----O pai de Luíza não discursou, mas apenas deu as boas vindas a todos, mencionando a presença do vice-governador, que era o convidado mais importante, no local. Deixou claro que não mencionaria os nomes de todos os convidados ilustres porque isso tomaria muito tempo. Ainda, chamou à frente um convidado que muito surpreendeu e agradou a todos: um ator muito famoso, nascido naquele estado, que veio acompanhado do vice-governador e esposa. Pediu a ele que se encarregasse de apresentar o espetáculo musical tão aguardado.
-----O ator foi ao palco sendo ovacionado. As pessoas presentes estavam fascinadas com tudo aquilo. Quando chegou à frente, cumprimentou o prefeito, que passou o microfone e voltou ao seu lugar ao lado da esposa e da filha mais nova; Lucas também estava naquela mesa aguardando a namorada.
-----– Estou honrado com o convite, prefeito. Muito obrigado! Quero parabenizar a todos por essa festa tão caprichada. Soube que foi organizada pela sua filha, é verdade? – todos responderam que sim e alguns disseram o nome dela para que ele ouvisse. – Luíza, então? Essa linda mulher que falou há pouco? Estou fascinado. Confesso que vim a esta festa sem muita expectativa, mas quando ouvi você falar, percebi que ganhei a noite. Você é linda! – Luíza estava no palco, perto de Toni. – Já que vou apresentar o cantor, posso pedir que dance comigo?
-----Luíza olhou imediatamente para Lucas. O prefeito olhou bem para ela, movimentando a cabeça em sinal positivo. Disfarçando bem o constrangimento, respondeu:
-----– Estou certa de que o meu namorado Lucas, que está ali ao lado da minha mãe, não irá se importar. Claro que dançarei com você! Estamos muito felizes com a sua presença na nossa festa.
----- – Assim sendo, não vou demorar. Com vocês, o nosso grande artista da música romântica! Dancem, abracem e beijem muito! A noite é propícia, aproveitem!
----- Todos no local aplaudiram fortemente. Os olhos de Luíza brilhavam ao ser conduzida pela mão daquele belíssimo ator, ao som do famoso cantor de voz suave e firme. Ela foi até o centro da pista de dança com aquele homem alto e forte, em seu vestido maravilhoso. Todos olhavam para ela com profunda admiração e somente depois que o belo par já havia começado a dançar é que outros foram acompanhá-los. Lucas teve que ficar de fora, a princípio. Mas ele estava acostumado a ficar em segundo plano quando os interesses políticos de Luíza estavam em questão. Já na terceira música, ele convidou uma amiga para ajudá-lo a resgatar sua namorada e, aproximando-se do famoso par, trocou as parceiras e finalmente começou a dançar com Luíza.
-----– Eu nem acredito no que está acontecendo! – disse muito animada, beijando o namorado.
----- – Você nasceu para isso, minha linda!
-----Eles dançaram mais uma música e foram se sentar. Luíza foi aos poucos cumprimentando e conversando com cada um dos convidados interessantes. A festa durou até o sol começar a despontar. Na noite seguinte, a música seria apresentada em praça pública para toda a população. Luíza foi a grande sensação. O ator ficou interessadíssimo e a maioria dos prefeitos invejou o seu brilho. Alguns empresários falaram em interesses comerciais e Luíza ficou de conversar com cada um deles, em ocasião oportuna. A noite foi um sucesso para ela.
-----No dia seguinte, por toda a cidade, não se falava em outra pessoa. Na hora do show, em praça pública, o povo gritou a uma só voz:
-----– Luíza! Luíza! Prefeita! Prefeita!
-----Ela brilhava como ninguém e a sua candidatura ao cargo de prefeita era certa, com vitória garantida. No seu partido, isso era mais que uma certeza e os projetos para o futuro eram ambiciosos. Ao lado de seu pai, começou a fazer as articulações políticas logo depois do feriado.
----- Nas eleições municipais seguintes, o resultado foi exatamente o que era aguardado: Luíza prefeita.
----- Algum tempo depois, em seu gabinete, despachando como prefeita da cidade, recebeu a visita de alguns professores que solicitaram transporte escolar para as crianças da zona rural, as quais eram forçadas a caminhar por cinco ou seis quilômetros por dia para ir à escola. Luíza mandou o seu assessor verificar quantas famílias seriam beneficiadas pelo transporte escolar rural e percebeu que o número era inexpressivo, se comparado à população urbana; não manifestou interesse algum em atender à solicitação dos educadores, que saíram decepcionados.
Logo em seguida, recebeu um telefonema:
-----– Boa tarde, minha prefeita preferida! Vi você no programa de entrevistas em rede nacional ontem à noite. Que vestido, menina! Aquela modelo que sentou no sofá ao teu lado não conseguiu chegar nem perto.
----- – É por essas e outras que você é o meu chef preferido! – sorriu.– Que bom que você ligou. Preciso mesmo falar contigo.
----- – Eu sei. O dia da festa de aniversário da cidade se aproxima!
-----– Esse ano eu quero a melhor comida, a melhor música, os melhores artistas, tudo. Quero a festa do século! Vamos investir alto. Temos planos ambiciosos para o meu futuro político, querido!
----- – Você vai longe! Ainda serei chef no Palácio do Planalto.

4 comentários:

Dani disse...

Essa história ainda continua? Queria saber no que vai dar. Só fico com pena do Lucas, tadinho, tão desprezado hehehe

Késia Mota disse...

hehehe

E logo ele, tão bonito, né? risos

Dani, não pensei em continuar, não.
Mas, quem sabe?

Rafaela disse...

Mt bom,Késia!
gostei msm!
:D
hehe

Késia Mota disse...

Obrigada, Rafaaaaaaaaaa